Vendas de imóveis novos em São Paulo têm primeiro aumento do ano em março, diz Secovi-SP

prédios

A venda de unidades residenciais novas no município de São Paulo cresceu 73,1% em março na comparação com o mês anterior, com a comercialização de 1.267 imóveis. Em relação ao ano passado, no entanto, o resultado indica queda de 27,4% nas vendas, já que foram negociadas 1.744 unidades no terceiro mês do ano passado. Os dados são da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp) divulgados nesta segunda-feira (11) pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

Em março, o Valor Global de Vendas (VGV) foi de R$ 672,8 milhões e as unidades vendidas tiveram valor médio de R$ 531 mil. Assim, no acumulado do ano foram vendidas 2.736 unidades novas, que representam queda de 27,1% em relação ao primeiro trimestre de 2014, quando 3.755 imóveis foram comercializados.

Em relação aos lançamentos, o levantamento aponta que, em março, foram lançadas 773 unidades residenciais, das quais 541 (70%) são de dois dormitórios. 163 (21%) de dois, 37 (5%) de um e 32 (4%) de quatro ou mais quartos. Houve redução de 11,4% na comparação com o mês anterior, cujos lançamentos registraram 872 imóveis; e de 72,3% em relação ao mesmo mês do ano passado, que teve 2.795 lançamentos.

No trimestre, foram lançadas 2.191 unidades na cidade, o que representa redução de 50,4% na comparação com as 4.491 unidades lançadas nos três primeiros meses de 2014.

De acordo com a pesquisa, o resultado era esperado, uma vez que a tendência é de que as empresas incorporadoras concentrarem esforços na comercialização dos empreendimentos lançados anteriormente.

Fonte: Revista Mercado Construção